IT | EN | ES | FR | PT

NOTÍCIAS

NOTÍCIAS - Entre música e arte, para os delegados uma noite no Palácio Lateranense

Entre música e arte, para os delegados uma noite no Palácio Lateranense

24/06/2022

Entre música e arte, para os delegados uma noite no Palácio Lateranense

As notas de Mozart, a sinfonia de Schubert e o pátio interno do Palácio Lateranense com uma inédita decoração luminosa. É a síntese do cenário do concerto de música clássica "A alegria da música" realizado ontem à noite, 23 de junho, na casa do bispo de Roma. Realizado pela Orquestra Filarmonica Marchigiana, companhia residente do Macerata Opera Festival, o concerto, com entrada gratuita, foi promovido pela diocese de Roma para os delegados das Conferências Episcopais provenientes de vários países que chegaram a Roma por ocasião do 10º Encontro Mundial das Famílias.

Não só as emoções transmitidas pela música e voz da soprano Francesca Benitez, que se apresentou no lema "Exsultate, jubilate" composto por Wolfgang Amadeus Mozart em 1773, os participantes também receberam visitas guiadas na Basílica de São João de Latrão e no Palácio Lateranense, antiga residência dos papas, excepcionalmente aberta até as 23h.  A orquestra também executou a ópera "Divertimento n. 1", de Mozart, composta em 1772, quando o compositor tinha apenas 16 anos, e a "Sinfonia nº 5", de Franz Schubert. Para aplaudir a atuação também o cardeal vigário Angelo De Donatis e o secretário-geral do Vicariato Monsenhor Pierangelo Pedretti.

O concerto, cuja direção foi confiada ao primeiro concertista de violino Alessandro Cervo, foi conduzido pela apresentadora Rai Eleonora Daniele e por Andreas Thonhauser da emissora americana EWTN, o mesmo que, em colaboração com o Departamento de Comunicações Sociais da diocese, cuidou da exposição fotográfica sobre a família montada no pátio interno do Palácio Lateranense.

"Não poderíamos deixar de aceitar um convite tão prestigioso", comenta Paolo Pinamonti, diretor artístico do Macerata Opera Festival (Mof).  "Em um momento histórico tão particular em que há tantas dificuldades que acompanham o cotidiano das famílias – acrescenta Pinamonti – é importante criar esses momentos de reflexão sobre a família". Para o diretor artístico do Mof há muitas semelhanças entre o núcleo familiar e a música.  "A família orquestral - explica - para fazer música deve compartilhar emoções e, ao mesmo tempo, deve ser capaz de dialogar e ouvir. Assim como acontece em casa.