IT | EN | ES | FR | PT

NOTÍCIAS

NOTÍCIAS - O catecumenato matrimonial, um modelo a ser difundido

O catecumenato matrimonial, um modelo a ser difundido

24/06/2022

O catecumenato matrimonial, um modelo a ser difundido

Renovar a preparação para o casamento das próximas gerações, considerando que o casamento não é um ponto de chegada, mas sim uma etapa de longo de um caminho. São esses os objetivos dos "Itinerários Catecumenais para a Vida de Casados. As Diretrizes Pastorais para as Igrejas Particulares" é um documento precioso que o Santo Padre confia aos pastores e leigos que trabalham na pastoral da família, apresentado por Gabriella Gambino, subsecretária do Dicastério para a Leigos, a Família e a Vida, com seu marido Giovanni Nuzzi, na conferência da tarde de sexta-feira, 24 de junho, o segundo dia do Congresso Teológico Pastoral do 10ª Encontro Mundial de Famílias.

"Não é um curso fabricado aquele que apresentamos - explicou Gambino - mas um instrumento de reflexão pastoral que, a partir de alguns princípios gerais, pretende ser um auxílio às Igrejas particulares, para que preparem seus próprios percursos, na linha do que o Santo Padre sugeriu, com base nas possibilidades e características pastorais de cada lugar". O objetivo a ser alcançado é claramente delineado: "É preciso buscar mudar gradualmente a abordagem da pastoral vocacional, para que também contemple explicitamente o matrimônio, ao lado da vida consagrada".  Por isso, precisamos de um catecumenato, "um caminho de acolhida - sublinharam os palestrantes - por parte de uma comunidade que sabe como acompanhá-lo, protegê-lo e incentivá-lo".  O casamento é realmente uma vocação e, portanto, "requer discernimento, explicaram. Nessa perspectiva, a celebração do rito do matrimônio não é de forma alguma um ponto de chegada, mas o início de uma vida conjugal, na qual marido e mulher adquirirão uma identidade cristã renovada, como acontece com padres e religiosos".

Um caminho desse tipo já está sendo trazido para a diocese de Roma, como explica Fabio Rosini, diretor do ministério de vocações diocesanas, com Angelo Carfì e Elisa Tinti. "Desde 2012 estamos substituindo a equipe de discernimento vocacional da diocese de Roma - explicaram eles - e nessa capacidade nos últimos dez anos propusemos um curso duplo de preparação para o sacramento do casamento: um para preparação remota e outro para preparação próxima ao sacramento. Muitas centenas de casais noivos se beneficiaram desses cursos. "O catecumenato matrimonial não deve ser apresentado "como um curso 'instrutivo' composto de coisas bonitas - para entender - eles reiteraram - caso contrário, falharemos em nossa missão de dar substância à formação do casamento. Em vez disso, é necessário voltar à primeira sensibilidade cristã, a dos primeiros séculos, aquela que gerou o catecumenato batismal, o que implicava um caminho prático, experiencial, litúrgico".

À noite, os delegados das Conferências Episcopais foram para várias paróquias de Roma, para continuar o trabalho do Congresso, conhecer as famílias romanas e fazer um momento de convívio.